Perturbação Bipolar

Como distinguir a Perturbação Bipolar da Perturbação de Personalidade Borderline

Em Psicologia adultosby Margarida Rogeiro

A Perturbação Bipolar e a Perturbação de Personalidade Borderline são bastante debilitadoras, tanto ao nível da qualidade de vida, como na própria interferência negativa nas relações interpessoais que a pessoa estabelece. Apesar de parecerem semelhantes na sintomatologia, manifestam-se de formas diferentes e, como tal, o tratamento também difere. Deste modo, iremos analisar cada uma delas e refletir sobre possíveis intervenções e tratamentos.

Dificuldades no diagnóstico

Cada vez mais, as pessoas estão atentas à sua saúde mental e, como tal, é importante diferenciar certas perturbações, para que se procure o tratamento mais eficaz para lidar com elas e recuperar, assim, o seu bem-estar físico e mental.

Existem doenças que não têm um diagnóstico fácil, tendo em conta que a sintomatologia associada nem sempre é inteiramente visível. Assim, é necessário uma maior avaliação, em particular perceber o real impacto da doença nos contextos da vida da pessoa. É o caso da perturbações Bipolar e perturbação de personalidade Borderline, que apesar de aparentemente semelhantes na sintomatologia, requerem um tratamento diferente. As diferenças entre estas duas perturbações são subtis, pelo que para descobrirmos melhor o que implica cada uma delas, iremos analisá-las de seguida.

Perturbação Bipolar

A perturbação bipolar, ou psicose maníaco depressiva, pode ter várias tipologias, mas todas elas se caraterizam pela presença de alterações de humor e energia, sem motivo aparente para as mesmas, bem como dificuldades em desempenhar tarefas quotidianas.

Mudanças de Humor
Mudanças de Humor

De acordo com o senso comum, a perturbação bipolar é definida como uma doença de “altos e baixos”, dado que as alterações de humor incluem também alteração das rotinas do sono, níveis de energia, pensamentos e comportamentos pouco comuns, podendo mesmo interferir com as relações interpessoais.

Não é uma perturbação que esteja presente desde o nascimento, podendo, assim, desenvolver-se em qualquer momento da vida de uma pessoa. Porém, surge com mais frequência no final da adolescência ou início da vida adulta.

As diferentes tipologias da doença variam de acordo com o tempo de prevalência de cada fase, tanto a maníaca como a depressiva. Todavia, os principais sinais presentes em cada fase são:

Episódios de Mania e Depressivos
Episódios de Mania e Depressivos

Não existem causas diretas para o aparecimento desta doença, ainda assim, há um conjunto de fatores de risco que podem estar associados. São eles: estrutura cerebral, fatores genéticos e historial de família.

Uma vez que esta condição implica alterações tão dramáticas no dia a dia da pessoa que padece desta patologia, é importante que seja feito um tratamento, de modo a que ela consiga encontrar um equilíbrio e maior controlo das alterações que a perturbação provoca, implicando quase sempre a combinação de medicação e psicoterapia.

Perturbação de Personalidade Borderline

O transtorno de personalidade Borderline implica padrões de personalidade que se caraterizam por instabilidade, hipersensibilidade nos relacionamentos interpessoais e desvalorização pessoal, bem como flutuações de humor e impulsividade. Pessoas com este transtorno têm dificuldades em estar sozinhas, fazendo mesmo esforços excessivos no sentido de evitar sensações de abandono, levando, por vezes, a comportamentos desajustados (por exemplo, comportamentos autodestrutivos). 

Raiva Intensa
Raiva Intensa

Quando esta sensação de abandono se apodera das pessoas com este transtorno, sentem medo ou raiva intensa, sendo este um fator que geralmente leva à presença de dificuldades na manutenção das suas relações interpessoais. Igualmente, o modo como percecionam as pessoas que as rodeiam pode mudar de forma brusca, em que podem idealizar alguém que cuide deles, mas perante algum tipo de desilusão, tendem a desprezá-los ou a ficar irritados com essas pessoas (representado uma polarização do bem e mal). No entanto, quem padece do transtorno de personalidade Borderline, pode sentir empatia pelo outro, mas apenas se percecionarem o outro como estando presente e disponível para si.

Esta dualidade interna, leva a que muitas vezes os pacientes revelem dificuldades em controlar a sua raiva, o que os leva a tornarem-se inadequados e intensamente irritados, podendo manifestar esta hostilidade na forma de sarcasmo, amargura e irritabilidade. Posteriormente, sentem vergonha ou culpa das suas reações, intensa ansiedade, vindo assim a confirmar os seus sentimentos de desvalorização pessoal, provocando as alterações de humor que caraterizam este transtorno.

Na próxima tabela podemos verificar os principais sintomas que incluem este transtorno:

Perturbação de Personalidade Borderline
Perturbação de Personalidade Borderline

Esta perturbação não é inata à pessoa e poderá ter como origem uma série de fatores relativos à constituição cerebral, historial da doença na família, bem como, presença de episódios de grande tensão na infância (historial de abuso físico e sexual, negligência ou separação das figuras parentais). Manifesta-se principalmente na idade adulta, todavia poderá também observar-se nalguns casos, logo na adolescência. O tratamento é feito a partir do uso de medicação e também de psicoterapia, sendo a última considerada como a principal ajuda neste tratamento, uma vez que trabalha as crenças e comportamentos da pessoa.

Semelhanças e Diferenças: Perturbação Bipolar e Perturbação de Personalidade Borderline

Como pudemos verificar nas tabelas anteriores, as semelhanças na sintomatologia destes dois transtornos são muitas, não obstante, devemos considerar as diferenças suteis que as distinguem.  Estas diferenças prendem-se com a prevalência temporal dos sintomas e na própria etiologia da doença, e isso vai-se refletir no próprio tratamento. Porém, em qualquer uma das situações é necessário conhecer bem a plenitude dos efeitos da sintomatologia na vida da pessoa afetada para que se perceba qual o transtorno que está em causa e, assim, intervir da melhor forma para ajudar a pessoa a ultrapassar as suas dificuldades.

Na PsicoAjuda disponibilizamos serviços adequados a estas duas problemáticas, com vista a potencializar os recursos emocionais e relacionais da pessoa, de modo a maximizar o seu bem-estar e o pleno desenvolvimento da sua vida tanto profissional como pessoal.

Ana Margarida Rogeiro / Psicóloga e Psicoterapeuta

© PsicoAjuda – Psicoterapia certa para si, Leiria

Imagens cortesia de freepik

Sobre o Autor

Margarida Rogeiro

Psicóloga clínica e Psicoterapeuta na PsicoAjuda. Mestrado pós-Bolonha em Psicologia Clínica e da Saúde pela UBI. Membro da Ordem dos Psicólogos.