Dificuldades de aprendizagem

Dificuldades de aprendizagem e relacionamento da criança

Em Psicologia Infantil por Elisabete Condesso

Hoje em dia, as dificuldades de aprendizagem e relacionamento da criança constituem uma das maiores preocupações dos pais, escolas e entidades públicas em geral. Todos os intervenientes no processo educativo da criança, especialmente as escolas, passaram a ter uma maior preocupação de intervenção, visando resolver ou atenuar, sobretudo, os problemas associados ao fracasso escolar.

Esta situação tem que ser obrigatoriamente vista no contexto da nossa sociedade em constante transformação, quer na dinâmica familiar, quer nas mudanças de costumes e valores familiares, e que têm interferido no estilo educativos dos pais, escolas e nas suas relações familiares e interpessoais.

Criança com dificuldades de aprendizagem

Criança com dificuldades de aprendizagem

É neste cenário que as escolas devem procurar uma maior integração família-escola, e reconhecer que algumas crianças não obtêm desempenho académico satisfatório devido à interferência de variáveis afetivas e comportamentais. Também é de suma importância propor mudanças aos pais, alertando-os quanto à necessidade de haver comunicação e relações interpessoais saudáveis no âmbito familiar para a formação de crianças competentes no futuro, quer na sua vida pessoal, quer no seu desempenho profissional.

 

A escolarização

O processo inicial de escolarização pode ser considerado um período sensível para a trajetória do desempenho escolar. Os dois maiores desafios da socialização, enfrentados pela criança em idade escolar, consistem em ajustar-se às exigências do professor e em responder às expectativas dos colegas. Se a criança falhar nesses desafios, pode ter, como consequência, o risco de fracasso escolar e de rejeição pelos colegas, como ainda o desenvolvimento de outros padrões de comportamentos problemáticos.

 

A escolarização e socialização da criança

A escolarização e socialização da criança

O desempenho escolar constitui uma condição de proteção ou de vulnerabilidade da criança e posterior desenvolvimento da mesma. O bom desempenho académico favorece a valorização da criança pelos adultos, bem como promove a superação de dificuldades e o seu empenho em projetos de vida que buscam a autorrealização. Por outro lado, o baixo desempenho escolar acentua as dificuldades e as vivências de sentimentos negativos, acarretando outras dificuldades comportamentais e emocionais e gerando uma sensação de não cumprimento das suas tarefas sociais referentes à escolarização.

 

Competências sociais

A competência social qualifica a capacidade do desempenho social e refere-se à capacidade do indivíduo de organizar pensamentos, sentimentos e ações em função dos seus objetivos e valores, articulando-os às necessidades imediatas do ambiente que o rodeia. Esta capacidade envolve um conjunto de habilidades complexas, incluindo entre outras, as de fazer perguntas, lidar com críticas, seguir regras, solicitar mudanças de comportamento e resolver situações interpessoais conflituosas. A competência social é adquirida por meio do processo de aprendizagem. Desenvolve-se desde a infância – este é considerado como um período crítico para a aprendizagem dessa competência – o que coloca em destaque a necessidade de focalizar a atenção para o desenvolvimento das habilidades sociais de criança durante esse período. Na aquisição dessas habilidades sociais é importante o papel da rede de relações que inclui a escola, a família e a própria criança, num contexto socioeconómico.

 

Dificuldades de aprendizagem ou “queixas escolares”

É frequente surgirem nessa rede de relações os “problemas escolares” ou “ problemas de comportamento” e de aprendizagem, denominados pelos psicólogos de “queixas escolares”, devido a tais dificuldades ocasionarem solicitações de encaminhamento dos professores e coordenadores pedagógicos para os profissionais de psicologia.

 

Criança desmotivada e a pensar na brincadeira

Criança desmotivada e a pensar na brincadeira

Tais dificuldades podem referir-se tanto ao comportamento quanto ao rendimento dos alunos no processo ensino-aprendizagem.

 

Ajuda de um psicólogo

Perante as dificuldades de aprendizagem ou “queixas escolares”, é muito comum os professores e pais encaminharem a criança para o psicólogo da escola que poderá fazer o primeiro despiste. Contudo, o serviço prestado sobretudo pelas escolas públicas é bastante limitado, pois geralmente não possuem profissionais em número suficiente com formação em psicologia. Mais ainda, raramente possuem psicólogos clínicos que possam ajudar a criança a ultrapassar dificuldades ao nível emocional e relacional.

Deste modo, a PsicoAjuda proporciona um serviço que permite à criança ultrapassar as suas dificuldades de aprendizagem e de relacionamento. Num primeiro momento, há que fazer a avaliação e diagnóstico, que permite fazer o despiste de problemas como dificuldades emocionais, bullying, hiperatividade, défice de atenção, problemas de memória, sobredotação, dislexia, disgrafia, disortografia, discalculia, etc.

Num segundo momento é importante ajudar a criança a resolver os seus problemas. Diante da identificação da causa, iniciar-se a intervenção psicoterapêutica que permite aumentar os recursos da criança e proporciona-lhe um melhor ajuste socio-emocional, o que irá ajudar a resolver as suas dificuldades de aprendizagem.

 

Elisabete Condesso / Psicóloga e Psicoterapeuta

© PsicoAjuda – Psicoterapia certa para si, Leiria

Imagens cortesia de David Castillo Dominici e imagerymajestic em FreeDigitalPhotos.net; Lia Bravo e Adremilk em Flickr.com

Sobre o Autor

Elisabete Condesso

Directora clínica da PsicoAjuda. Psicóloga clínica e Psicoterapeuta. Licenciada em Psicologia Clínica pela ULHT de Lisboa e com pós-graduação em Consulta Psicológica e Psicoterapia. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos. Título de especialista em “Psicologia clínica e da saúde” atribuído pela Ordem dos Psicólogos.